Letras porretas…

O sonho acabou
Quem não dormiu no sleeping-bag
Nem sequer sonhou o sonho acabou
Hoje, quando o céu foi demanhado
De sol vindo, vindo, vindo
Dissolvendo a noite na boca do dia.
O sonho acabou dissolvendo
A pílula de vida do dr. Ross
Na barriga de Maria.
O sonho acabou desmanchando
A transa do dr. Silvana
A trama do dr. Fantástico
Meu melão de cana.
O sonho acabou transformando
O sangue do cordeiro em água
Derretendo a minha mágoa
Derrubando a minha cama.
O sonho acabou
E foi pesado o sono
Pra quem não sonhou
Quem não dormiu no sleeping-bag
Nem sequer sonhou.

Vou mostrando como sou e vou sendo como posso. Jogando meu corpo no mundo, andando por todos os cantos. E pela lei natural dos encontros, eu deixo e recebo um tanto. E passo aos olhos nus ou vestidos de lunetas. Passado, presente, participo sendo o mistério do planeta. O tríplice mistério do estoque, que eu passo por e sendo ele no que fica em cada um. No que sigo o meu caminho e no ar que fez e assistiu. Abra um parênteses, não esqueça que independente disso eu não passo de um malandro. De um moleque do Brasil, que peço e dou esmolas. Mas ando e penso sempre com mais de um, por isso ninguém vê minha sacola. (Novos Baianos)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: