Gil disse…

(Um pedacinho de uma entrevista dac coleção encontros)

“O fim do tropicalismo não foi por vontade própria, foi coisa do destino. De repente, a gente teve que parar o trabalho, foi preso, teve que sair do país. Então, já era outro fator, outra forma de movimento, mas que também foi positivo. O resultado está aí hoje, eu reputo a minha experiência lá fora como uma coisa fundamental na minha vida.

Só pra instigar… Leiam o livro que tem um monte de entrevistas de Gil, desde 1967 até 2007. Coleção Encontros da Azougue editorial,

organização de Sérgio Cohn, apresentação de Ana de Oliveira. Tem outros lançamentos bem interessantes, tipo, Jorge Mautner, Hélio Oiticica, , Tom Zé, Waly Salomão, Zé Celso Martinez Corrêa, Nise da Silveira, Roberto Piva,  etc, etc